segunda-feira, 11 de abril de 2011

Tipos de Aranha


ARANHA-MARROM (gênero Loxosceles)
Tamanho: 7 centímetros
É a menor aranha entre as mais perigosas (Corpo 7-12 mm). Por causa dos hábitos noturnos e seu tamanho, passam desapercebidas pelo homem e podem então proliferar-se extraordinariamente. Os machos têm corpo menor e pernas relativamente mais longas. O cefalotórax é baixo, isto é, não ultrapassa, em altura, o abdômen, os olhos são seis, reunidos em três pares de quelíceras são soldadas na base. Todas apresentam um colorido uniforme que varia do marron claro até o escuro, podendo apresentar no cefalotórax um desenho amarelo em forma de estrela (L. gaucho). As fêmeas alcançam a maturidade sexual em média aos 328,5 dias e os machos em 454,7 dias. Uma fêmea pode produzir até 15 ootecas que contêm de 22 a 138 ovos. A duração de vida é de 1536 dias para as fêmeas e 696 para os machos que acasalaram.
Ação do veneno (peçonha): O veneno tem ação proteolitica e hemolítica e, se manifestam tardiamente, em torno de 12 a 24 horas após o acidente.
Quadro clínico: O quadro clínico cutâneo caracteriza-se por edema, eritema, dor localemelhante a queimadura. Quando há comprometimento cutâneovisceral, observamos febre, mal-estar generalizado, icterícia, equimose, vesículas, bolhas, necrose e ulceração. A urina torna-se escura, cor de "coca-cola".
Pode evoluir para oligúria, anúria e insuficiência renal aguda, semelhante ao que ocorre no acidente crotálico.
Tratamento: (O tratamento específico é feito com o soro antiaracnídeo e/ou antiloxoscélico, 10 ampolas pelas via endovenosa. O tratamento complementar consiste na limpeza local com anti-sépticos e hidratação do doente de maneira semelhante ao preconizado para o acidente crotálico.
A vacinação anti-tetânica está indicada. Os antibióticos devem ser utilizados quando houver infecção secundária de maneira semelhante ao preconizado no acidente botrópico. O emprego do soro específico deve ser feito até 36 horas após o acidente.



ARMADEIRA (gênero Phoneutria)
Tamanho: 15 centímetros
Onde é encontrada: Brasil, restante da América do Sul, América Central
Veneno: neurotóxico
É a mais agressiva de todas e responsável por metade dos acidentes com aranhas no Brasil. Ao enfrentar um inimigo, ela se ergue sobre as pernas traseiras e levanta as da frente, ao mesmo tempo em que expõe seus ferrões - por isso recebe o nome de armadeira. Sua picada dói muito, mas não costuma trazer conseqüências mais graves para os adultos. Em crianças a dor intensa pode causar arritmia cardíaca, infiltração de água nos pulmões e queda na pressão. Somente em casos muito raros pode levar uma criança à morte.
Ação do veneno (peçonha): Neurotóxica. São responsáveis pleo mais número de acidentes de aranhas. O veneno desta aranha costuma agir mais rapidamente do que a da maioria das serpentes. Há registro de mortes de crianças, seis a doze horas após o cidente, bem como de alguns adultos.







Sintomatologia:
  • Dor local e generalizada pelo membro atingido;
  • Pulso rápido, febre e sudorese, principalmente na nuca;
  • problemas respiratórios, vômitos, vertigens e dificuldades de acomodação visual;
  • morte por asfixia, principalmente em crianças.
Tratamento: (procurar o médico ou posto de saúde mais próximo - se for um animal mordido pela aranha deve-se procurar o médico vetrinário o mais rápido possível)

  • analgesia, pela infiltração local, ao redor da picada, de aproximadamente 4 ml de anestésico do tipo lidocaína a 2%, sem vasoconstritor. Se necessário, repetir a mesma dose uma e duas horas após. Se a dor persistir,
  • fazer uso do soro antiaracnídeo polivalente na dose de 5 a 10 ampolas, por via endovenosa. A soroterapia está sempre indicada quando estiver presente o choque neurogênico, em crianças menores de sete anos de idade e adultos com dor persistente após tratamento sintomático.
  • O tratamento complementar da dor local com banho de imersão, analgésicos e sedativos pode ser utilizado. Os mesmos cuidados referidos para a soroterapia antibotrópica devem ser tomados quando da administração do soro antiaracnídeo.

TEIA-DE-FUNIL (gêneros Atrax e Hadronyche)
Tamanho: de 1 a 4,5 centímetros
Onde é encontrada: Oceania
Veneno: neurotóxico
Os dois gêneros são conhecidos pela ferocidade e pelo alto poder de ataque. Em ambos os casos, são os machos que causam os acidentes mais graves. A mais perigosa de todas é a Atrax robustus, também conhecida como aranha teia-de-funil de Sydney. Suas vítimas podem sofrer problemas respiratórios e até entrar em estado de coma.
Os primeiros sintomas de envenenamento sistêmico incluem calafrios , sudorese , formigamento ao redor da boca e língua , contraindo (inicialmente facial), salivação excessiva, olhos lacrimejantes , elevação da freqüência cardíaca e pressão arterial elevada . Como envenenamento sistêmico progride sintomas incluem náuseas , vômitos , falta de ar (causada pela obstrução das vias aéreas), agitação , confusão , contorcendo-se, fazendo caretas, espasmos musculares , edema pulmonar (de neurogênica origem ou hipertensos), acidose metabólica e hipertensão extrema. 


VIÚVA-NEGRA (gênero Latrodectus)
Tamanho: 3 centímetros (fêmeas)
Onde é encontrada: Brasil, restante da América do Sul, América do Norte, África, Europa, Ásia, Oceania
Veneno: neurotóxico
Não dá para afirmar que ela tem o veneno mais potente, mas uma coisa é certa: é a aranha mais temida. Em primeiro lugar, por ser encontrada quase no mundo todo. Segundo, porque suas dolorosas picadas são relatadas há séculos. A fêmea é responsável pelos acidentes, já que o macho, muito menor, não pica. O veneno causa excesso de transpiração, contração muscular e alterações na pressão. As viúvas-negras do Brasil são mansas e não matam. Já as espécies da costa do mar Mediterrâneo, na Europa, podem dar picadas fatais.
Tratamento em casa: Coloque gelo (envolto em um pano ou em outro material adequado) no local da picada por dez minutos; retire, espere mais dez minutos e então repita o processo. Se o paciente tiver problemas circulatórios, reduza o tempo para evitar possíveis danos à pele. O paciente deve ser levado à uma sala de emergência para receber tratamento.
Antes de chamar o serviço de emergência:
Determine o seguinte:
  • a idade, o peso e a condição do paciente
  • a hora da picada
  • a área em que ocorreu a picada
  • o tipo de aranha, se possível

TARÂNTULA  (gênero loxosceles)
Tamanho: até 2,5 cm, os machos abanam os pedipalpos durante o namoro.
Distribuição geográfica: Estão espalhados por todo o mundo, até mesmo nas montanhas altas e no ártico.
Descrição: A familia caracteriza-se pela disposição dos oito olhos em três filas, a primeira mais próxima da borda quelíceras com quatro, a segunda com dois e a terceira com dois. São aranhas astutas, caçadoras, ágeis e capturam suas presas no pulo e matam-na com sua peçonha.
Cor: marrom-amarelada no corpo e pernas.


Onde são encontradas: São encontradas com grande facilidade nos campos, á beira de piscinas, nos gramados dos jardins, sob os arbustos e cercas vivas ou ao lado dos muros divisórios. Gostam de expor-se ao sol da tarde e temperatura abafada e dias nublados tornam-nas ativas. è bastante frequente em sitios ou fazendas, mesmo nas imediações do homem.
Sintomas: A dor é muito aguda mas passageira, aos poucos o membro ferido começa a inchar, ao mesmo tempo em que a dor volta. No dia seguinte nota-se um edema considerável com derrame sangüíneo que transparece sob a pele e no centro aparece a picada pela presença de uma crosta escura. A vítima pode sentir coceira no local da picada mas, por via de regras o estado geral é bom. No dias seguintes o edema aumenta e pode ocupar todo o membro e, algumas vezes aparecem pequenas bolhas. Pouco a pouco a crosta aumenta, um sulco de eliminação se forma e uma placa de tecido necrosado. A cura é lenta e deixa uma cicatriz indelével e freqüentemente retrátil e dolorosa. Pode ocorrer febre, náuseas, vômitos e dores de cabeça.
Tratamento: Soro antiloxoscélico
Antigamente, os europeus do sul acreditavam que uma pessoa picada por uma das espécies de tarântula européia, só sacaria se executasse uma dança frenética, a tarantela. Hoje, sabe-se que a tarântula européia não é absolutamente venenosa. Sua picada causa apenas febre na vítima.
Existem cerca de 2000 espécies de tarântulas, espalhadas por todo o mundo, até mesmo nas montanhas altas e no ártico. As tarântulas andam pelo chão, de vez em quando sobem pelas plantas, à procura de insetos. Elas não tecem teias para apanhar a presa. Quando não estão caçando, escondem-se debaixo das pedras ou tocas. A tarântula fêmea prende seu saco de ovos ao corpo com os filhos secretados pelas glândulas fiandeiras. Quando os filhotes nascem, a mãe os carrega nas costas. Se um deles cai sobe de novo pelas pernas da mãe. As tarântulas têm tato bem desenvolvido. Elas podem ser criadas como bicho de estimação, mas precisam receber água quando vivem em cativeiro.























































3 comentários:

  1. ola, boa tarde.

    gostaria de saber sobre um tipo de especie de aracnideo em comum, pois aqui perto de casa existe uma area de mangue, e em uma certa parte desta localidade, avistei um tipo curioso de aranha ... não sei se ela é venenosa, gostaria de saber por base de algumas infomações que irei passar sobre seu aspecto.
    seu corpo tem em media de 5 a 6 centimetros, e em sua cauda na parte inferior tem tipo desenho de circulos brancos, com detalhes pretos e ela e meio verde.
    se vcs deste blog poderem me tirar essa duvida e passar algo sobre esta especie, fico agradecido!!!

    se tiverem algum email pra contato ... tentarei tirar uma foto nítida dessa especie e envio, para ajudar na identificção desse aracnideo.

    abraços!!!!

    ResponderExcluir
  2. amigo sabe se tem uma forma de afastar a armadeira ? onde moro ja dei de cara varias vezes com elas e por muito pouco nao fui pego ...alias ...foi mais sorte mesmo !

    preciso arrumar um modo de afasta-las !

    ResponderExcluir
  3. Amigo tenho foto de uma Aranha que encontrei em casa como faço para poder enviar a foto dela a vc para analisar e dizer qual nome dela???

    ResponderExcluir